Topo
Sindivestuário / Dados Econômicos
15 nov 2021

Todos os 9 grupos do IPCA tiveram alta de preços em outubro, mostra IBGE

No mês de outubro, houve alta de preços em todos os nove grupos que integram o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa superou a do mês anterior em sete deles. As famílias gastaram mais com Alimentação e Bebidas (1,17%), Habitação (1,04%), Artigos de Residência (1,27%) Vestuário (1,80%), Transportes (2,62%), Despesas Pessoais (0,75%), Comunicação (0,54%), Educação (0,06%) e Saúde e Cuidados Pessoais (0,39%). Em Vestuário, todos os itens pesquisados aumentaram,...
Continue lendo
26 set 2021

Segundo CNC, comércio terá maior contratação de temporários desde 2013

O comércio varejista terá a maior contratação de trabalhadores temporários para o Natal desde 2013. A previsão foi divulgada no dia de hoje (24) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). O que eleva a expectativa do setor para as festas do fim do ano. De acordo com o economista sênior da CNC, Fabio Bentes, as contratações no comércio vinham crescendo desde o final de 2016. No entanto, a pandemia de covid-19 no ano de 2020 fez as contratações despencaram de 91,6 mil trabalhadores...
Continue lendo
6 jul 2021

Macro Visão – Edição 4022

Prezado leitor, Você está recebendo o Macro Visão. Veja os destaques desta edição: Economia Brasileira Focus/Banco Central: PIB deve encerrar em 5,18% em 2021, segundo relatório Focus Fenabrave: Vendas de veículos automotores nacionais e importados tem queda de 3,5% em junho em relação a maio. ECONOMIA BRASILEIRA Focus/Banco Central: PIB deve encerrar em 5,18% em 2021, segundo relatório Focus O relatório Focus desta semana para o PIB aponta aumento de 0,13 p.p. com isso, o Produto Interno Bruto do país deve encerrar o ano em 5,18%,...
Continue lendo
24 jun 2020

Nova redução da Selic entra de vez no radar do mercado

O cenário de corte adicional da taxa básica de juros, a Selic, entrou de vez no radar dos analistas, após o Banco Central deixar a porta aberta para uma nova rodada de afrouxamento monetário. Com projeções bastante baixas de inflação e forte queda da atividade, os economistas acreditam que as chances de mais ajustes aumentaram dada a postura da autoridade monetária, que parece estar mais centrada em indicadores econômicos e menos preocupada com o limite da queda da Selic. O BNP...
Continue lendo