Topo
Sindivestuário / Matérias
5 set 2019

Como a tecnologia tem transformado a moda e a forma de consumo

Quando pensamos em tecnologia, automaticamente a palavra “futuro” surge em nossa mente. O mesmo acontece na moda. Tanto designers, quanto engenheiros e pesquisadores dessas áreas, traduzem tendências comportamentais de cinco, dez, vinte anos à frente, em roupas, acessórios, equipamentos e ferramentas capazes de facilitar nosso dia a dia e a forma como nos comportamos, interagimos e consumimos. Um exemplo disso são os wearables - tecnologias vestíveis, como relógios, tênis e camisetas, capazes de monitorar o sono, batimentos cardíacos, número de...
Continue lendo
30 ago 2019

Marcas brasileiras são destaque nos EUA

Marcas brasileiras de calçados como Ipanema, Zaxy, Carrano, Vicenza, Kidy, Magia Teen, Petite Jolie , Ala, Zatz, Pegada, Offline, Suzana Santos e Renata Mello, estão participando da maior feira de calçados da América do Norte, a FN Plataform, que ocorre essa semana em Las vegas, nos Estados Unidos. Além de calçados, a feira deste ano também conta com os setores de vestuário e acessórios. E os calçados brasileiros têm ganhado espaço no mercado norte-americano. No mês de julho, as exportações para...
Continue lendo
27 ago 2019

Os brasileiros aumentam compras pela internet

Os brasileiros estão cada vez mais comprando pela internet e, com isso, as vendas de e-commerce subiram em junho, de acordo com a Mastercard SpendingPulse, que fornece insights sobre as tendências gerais de gastos de varejo em todos os tipos de pagamentos. As vendas de e-commerce cresceram 7,3% no mês em comparação com o mesmo período do ano anterior. Três setores – farmacêutico, de vestuário e eletrônicos – ajudaram a impulsionar o aumento do comércio online, com desempenho bem acima da média...
Continue lendo
26 ago 2019

Vendas no mundo real x digital: como essas estratégias se complementam?

Até o fim de 2019, o faturamento do e-commerce brasileiro deve crescer 15%, com vendas totais de R$ 61,2 bilhões. Além disso, o valor médio das compras deve ser de R$447, alta de 3%. Foi o que estimou a Ebit|Nielsen, empresa de mensuração e análise de dados. Paralelamente, um estudo da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm) constatou que empresas tradicionais do varejo vendem, online, mais do que as que já surgiram como e-commerces. Onde estará o ponto de equilíbrio? De...
Continue lendo