Home / Destaque / Retrospectiva: Tecido jeans com trama dupla e visual de malha

Retrospectiva: Tecido jeans com trama dupla e visual de malha

desenvolvimento e dos processos-chave de produção e implementação do artigo. Foi usado fios de poliéster/algodão, com entrelaçamento simples, sendo para o urdume um fio de poliéster 100% e, para a trama, um fio grosso de algodão, fiado em open-end (rotor), além de fio core-spun de algodão/elastano.

O algodão fiado a rotor foi otimizado. Na engomagem, os parâmetros adotados foram: maior cobertura, maior permeabilidade e menor alongamento. Foi adotado um padrão dimensional. Os parâmetros da tecelagem foram definidos distintamente em função da superfície e da textura interior do tecido. A eficiência do tear ficou em torno de 90%. Foi considerado que o tecido jeans com trama dupla, aspecto de malha, aparência clássica e trama macia pode ser desenvolvido com design razoável, adotando-se medidas de tecnologia correspondentes.

Novas possibilidades para o jeans

O principal motivo para se produzir este novo tecido jeans é a experiência trazida por novos materiais, cores, tecnologias e usos. A trama macia é um componente importante para o desenvolvimento desse estilo de tecido. A aparência deve ser simples, clássica e de fácil manutenção, enquanto que a camada interna do tecido, em contato com a pele, deve ter um toque suave como se fosse uma peça de malha. O estilo aumenta a gama de efeito para tecidos jeans e proporciona uma nova experiência ao usuário. Durante cada etapa do desenvolvimento da série de tecidos dentro do estilo acima descrito, a contextura e a seleção de materiais foram de vital importância para determinar o toque do artigo.

A construção com trama dupla proporciona, do lado do avesso, um tecido com um efeito de enrugamento semelhante a um tecido de malha, e do lado direito, confere aspecto de um tecido jeans clássico. O toque macio e as melhores propriedades de elasticidade são assegurados pela otimização das matérias-primas de urdume e trama, combinadas a um acabamento com amaciante, um processo mecânico de lixamento etc.

O tecido obtido por esse desenvolvimento possibilitou a geração de um produto com estilo e efeito que atendem ao esperado no que se refere à categoria jeans.

Estilo do tecido e especificações

Um fio de poliéster/algodão entrelaçado foi usado para este estudo. Foram analisados os pontos-chave da construção/design da série de amostras. O primeiro aspecto é a construção, cuja aparência do efeito no tecido proporciona, na peça pronta, nervuras nítidas e uniformes, com uma boa coloração clara e de fácil manutenção. A construção também proporciona um toque aconchegante, macio e confortável da peça durante o uso.

O segundo aspecto é a matéria-prima e a contextura do urdume e trama. Para se alcançar o visual desejado, não foram adotados a engomagem e o tingimento tradicionais do processo de fabricação de tecido jeans (plano). Em vez disso, usou-se fio poliéster/algodão entrelaçado e tingido posteriormente. Um fio fiado de fibra curta de poliéster foi usado no urdume, enquanto que a trama foi feita com um fio grosso de algodão open-end e um fio algodão/elastano core-spun (com boa elasticidade).

O fio elástico foi selecionado visando à obtenção do aspecto desejado para a superfície do tecido, enquanto que o fio mais grosso foi usado na parte interna do mesmo.

Uma vez que as propriedades de encolhimento dos dois fios de trama acima mencionados são diferentes, conseguiu-se uma melhor taxa de encolhimento devido à contração do fio elástico. O fio grosso de algodão ficou curvado na superfície do tecido devido ao encolhimento do outro fio. Formou-se uma longa linha flutuante e ressaltada, gerando um efeito similar ao das alças formadas no processo de malharia.

O terceiro aspecto é a gramatura do tecido. Por ter sido o produto criado para a estação outono-inverno, o tecido deveria ser relativamente grosso e quente. Assim sendo, o peso por metro quadrado seria de 350 g/m2 ou mais.

O quarto aspecto foi a tensão do tecido. A tensão do urdume foi definida em função da aparência da superfície do lado direito do tecido. No caso, desejava-se um visual limpo e, desta forma, a tensão usada foi acima de 90%. No caso da trama, a tensão foi superior a 70% para que se conseguisse maciez e melhor propriedade de retenção de calor pelo tecido.

Considerando-se os elementos já mencionados, a especificação final do tecido ficou assim: T36.4/OE72.9 + C36.4 (77.8dtex) 406/318 145 poliéster/algodão entrelaçado.

Segundo a estimativa prevista, a taxa de encolhimento da trama no tear é de 21%. Assim sendo, a largura do tecido deverá ser de 184 cm. Já a densidade de fios de urdume e trama no tear foi estabelecida em 320 fios/10 cm e 318 batidas/10 cm, respectivamente. Para efeito de cálculo, a gramatura foi considerada em 368g/m2.

Contextura do tecido

A construção de tecido usando-se o recurso de trama dupla pode gerar artigos com diferentes aspectos do lado esquerdo e direito do artigo. Entretanto, quando existem dois grupos de trama compondo o tecido, não apenas a aparência pode ficar mais bonita como também a espessura, a rigidez e a retenção de calor podem ser melhoradas.

A aparência do tecido desenvolvido deve ser de sarja 3×1 com uma diagonal clara, uniforme e bem marcada do lado direito. Do lado do avesso, devido ao efeito provocado pelo encolhimento dos fios, aparecem fios flutuantes com aspecto final que lembra uma malha.

De acordo com os requisitos estabelecidos para o desenvolvimento o tecido de trama dupla, formou-se uma construção de sarja 3×1 direita.

O comprimento do fio flutuante no lado do avesso do tecido deve ser determinado por ocasião da fase de desenvolvimento. O comprimento desse flutuante não pode ser muito curto, pois, nesse caso, não se conseguirá o efeito de “onda” desejado. Da mesma forma, ele não pode ser muito longo, para as propriedades físicas não influenciem no comportamento do tecido durante o uso. Após repetidas análises, concluiu-se que o comprimento do fio flutuante deve ser de 4mm.

De acordo com os cálculos da densidade do urdume, a quantidade de fios de urdume para cada 4 mm é igual a: 406X0,4:10=16,24. Isso significa que 16 fios de urdume ocupam um espaço na largura do tecido equivalente ao fio flutuante de trama de 4 mm. Assim sendo, 16 construções de sarjas são relativamente suficientes para completar o avesso do tecido. Dezesseis sarjas, com cinco fios flutuantes cada uma, foram consideradas como a construção ideal, conforme mostra a Figura 1 (b).

Depois das considerações sobre os requisitos do estilo dos lados direito e avesso do tecido, a proporção de tramas de frente e de trás devem ser 2:1. A repetição da ligação sarja na parte da frente do tecido, no sentido do urdume, é 4, e no sentido da trama, 16.

A repetição da ligação sarja no tecido de trama dupla deve ser 16 no sentido do urdume e 48 no sentido da trama; a contextura original do tecido de trama dupla é obtida pela inserção da trama da frente e de trás, conforme a proporção 2:1.

Existem duas desvantagens que podem ser analisadas a partir da contextura original. A primeira é a repetição da trama na ligação sarja muito grande e a inserção das tramas no tear, muito complicada.

O outro ponto negativo foi detectado nas tramas no avesso do tecido, que não ficavam totalmente cobertas pelos fios flutuantes. Em outras palavras, as linhas de tramas flutuantes próximas entre si atrapalhavam a inserção das tramas do lado do avesso. Os pontos de intersecção no avesso do tecido devem ser vistos na parte da frente do mesmo, fato que poderia afetar diretamente a aparência do produto. Assim sendo, a contextura do avesso deveria ser melhorada e revista.

Uma trama foi excluída usando-se o recurso de pular uma trama a cada 16 batidas e cinco fios de urdume. Dessa forma, obteve-se a construção mostrada na Figura 1 (c). Os ligamentos mostrados nas Figuras 1 (a) e Figura 1 (b) foram feitos de acordo com a proporção 2:1 entre avesso e direito. O tecido de trama dupla em estudo foi desenhado prevendo-se uma repetição de 16 tramas e 24 urdumes. A cobertura completa das linhas flutuantes na parte da frente do tecido foi conseguida através da correta intersecção dos pontos na parte de avesso. A construção final do tecido, após as melhorias, pode ser vista na Figura 2.

Seleção e controle de qualidade dos fios de urdume e trama

Considerando-se a categoria de produto pretendido neste estudo, foram utilizados fios de poliéster de alta qualidade. Da mesma forma, teve-se cuidado com a matéria-prima base do fio, escolhendo-se fibra curta 1.33 dtex X 38 mm. As exigências previam melhor uniformidade e poucos nós no fio, a fim de se evitar qualquer tipo de sombreamento ou barramento na superfície do tecido.

Como o problema de eletricidade estática acontece com certa facilidade em fios de poliéster, foram usados fios com menor pilosidade para um melhor andamento nos teares jato de ar.

No caso dos fios de trama, o core-spun C36.4 (77.8dtex) apresentou  excelente elasticidade, de forma a se garantir um alto grau de encolhimento ao tecido. O fio com elastano foi usado somente após uma verificação do enrolamento e uma inspeção de qualidade. Caso contrário, poderia correr-se o risco te ter um problema de tensão desigual na parte interna do cone. Por essa razão, o fio ficou no estoque na tecelagem por mais de um mês, armazenado sob alta temperatura e umidade adequada. Após esse período, sua estabilidade foi melhorada. 

Um ponto-chave no processo de criação e desenvolvimento deste tecido foi a escolha do fio O.E. (open-end) grosso para a trama. Uma vez que o lado do tecido em contato com a pele é a trama, a qualidade deste fio é determinante para a obtenção do toque. Assim sendo, apesar de um fio mais grosso ter sido escolhido, sua classificação não deve ser baixa. Fibras muito curtas e impurezas podem influenciar no toque e na maciez do fio. A uniformidade do fio tem que ser regular, pois a pilosidade e a resistência à formação de pilling estão relacionadas à classificação/qualidade.

Outro detalhe importante é a influência da torção do fio sobre o toque do tecido. Para garantir melhor brilho na superfície e um toque macio, foi usado um fio com baixa torção, atendendo às especificações de tensão no processo de produção.

Os fios de urdume

Foi utilizada na produção uma urdideira ZC. Visando a uma redução de desigualdade de tensão dos fios de urdume, optou-se pela configuração da máquina com rolos menos densos. Durante o processo, foram feitos seis rolos com 736 fios e dois rolos com 737 fios. Devido às chances de surgimento de eletricidade estática, gerada pelos fios de poliéster, usou-se álcool para limpar partes da urdideira. Essa ação preveniu a formação de pelos, causada pela fricção do fio durante o processo de urdimento.

A velocidade de urdimento foi adequadamente reduzida, sendo selecionado o patamar de 700m/minuto; a tensão foi mantida uniforme, enquanto o ajuste dos fios e a densidade de enrolamento foram realizados no processo de urdimento. A elasticidade dos fios de urdume também foi controlada na medida do possível.

Processo de engomagem

Para engomagem, foi utilizada a máquina modelo HS40. O atrito entre os próprios fios de urdume e entre os fios e a máquina é preocupante e é causado devido à facilidade do poliéster em gerar eletricidade estática; a densidade do urdume foi de 90,6%, de acordo com a especificação fornecida. Para melhorar a propriedade de resistência à abrasão e a pilosidade do fio engomado e assegurar que o processo de tecelagem, em tear jato de ar, de um fio de poliéster seja bem-sucedido, os pontos-chave do processo de engomagem envolveram a redução da pilosidade, aumento de resistência, manutenção do alongamento e redução da abrasão.

Para a engomagem, o PVA teve melhor propriedade de cobertura para o fio de poliéster. Entretanto, o grau de polimerização e alcoólise, comuns para PVA1799, foi maior e proporcionou, sobre o fio, um filme mais resistente e de maior coesão. Dessa forma, a “segunda pilosidade” formou-se mais facilmente na área da secagem.

Assim sendo, foi adotado o mix PVA1799 + PVA205MB, numa proporção de 6:4. Ao mesmo tempo, a mistura de goma de amido com acrílico sólido foi selecionada como principal elemento da engomagem, enquanto que a mistura PVA1799 + PVA205MB foi usada como auxiliar, visando à redução de custos na engomagem e à otimização das propriedades do filme de goma.

A mistura e a preparação dos dois tipos de goma foram feitas separadamente. Em seguida, depois de submetidos à fervura, juntos os componentes foram usados no processo. Além disso, um agente antiestético foi adicionado na preparação da goma para obter redução do coeficiente de atrito e minimizar a estática.

Processo de tecelagem

O tear usado no estudo foi o modelo jato de ar ZAX-N. Depois das análises, a principal dificuldade foi atribuída à alta velocidade de produção dessa máquina, alta espessura do tecido, tendência à formação de pelos e de pilling devido ao atrito, alteração da superfície do tecido devido à inserção de trama dupla e propriedades diferentes das duas tramas.

As exigências de ajustes do tear para se fazer um tecido de trama dupla são altas. Desde a diferença da quantidade de fios de urdume nas camadas superior e inferior do tecido, prejudicando o movimento dos pentes, até a troca de posição das tramas. Além disso, a saída do tecido não estava estável. Por consequência, os parâmetros da posição do urdume precisaram ser constantemente ajustados. Várias tensões de saída do rolo foram adotadas. As alturas dos pentes relativos às camadas superior e inferior também foram ajustadas separadamente. A camada interna foi ajustada para uma posição mais baixa. Conseguiu-se reduzir a troca de posicionamento de trama. A resistência do batente foi reduzida. Os defeitos no tecido também foram reduzidos. Depois de repetidos estudos, conseguiu-se chegar a uma produtividade acima de 90% para o tear, e a porcentagem de classificação de primeira qualidade, antes que os reparos fossem realizados, foi de 80%. A porcentagem de produto classificado para exportação atingiu 98,5%.

Processos de tingimento e acabamento

Primeiro, o tecido cru foi parcialmente alvejado através de um pré-tratamento antes do tingimento. Em seguida, foi adotado um processo de tingimento único para poliéster/algodão com corante disperso. O tingimento do urdume foi realizado de acordo com a tecnologia para poliéster, e o algodão puro da trama não foi tinto, conseguindo-se, assim, o efeito colorido do jeans. O toque da superfície do tecido ficou muito macio, fofo e agradável através da combinação do tratamento de amaciamento e escovagem. A aparência final do tecido ficou excelente, com a parte da frente compacta, lisa e fria, enquanto que o lado interno apresentou-se suave e macio. A porcentagem de encolhimento da trama foi bastante controlada a fim de conferir uma boa elasticidade. A qualidade da superfície do tecido foi garantida graças à boa qualidade dos fios de urdume e de trama, e o efeito de tecido de malha foi realizado para se obter um bom toque e boa aparência ao produto final.

Conclusões

O desenvolvimento de um tecido deve ser pertinente. Para estabelecer o uso do produto, sua classificação e consumidor final, pesquisas devem ser realizadas visando identificar as tendências de moda e as demandas de mercado. Com base nesses conceitos, desenvolveu-se um tecido jeans com aspecto de malha, de fácil manutenção e com toque macio. A seleção de uma construção razoável e matérias-primas apropriadas foram os pontos-chave para o desenvolvimento deste produto.

Para produzi-lo, foram necessárias muitas medições. Foram adotados tingimento único para um tecido poliéster/algodão e uma construção de tecido com trama dupla. Para a trama, foram usados fio de algodão grosso e fio elástico. A qualidade dos fios de urdume e trama foi otimizada.

A tecnologia de engomagem teve como objetivo uma “cobertura mais pesada, mantendo absorção e um nível menor de alongamento”.

Um tipo de padronagem e parâmetros de tecimento foram adotados para que se conseguisse produzir um tecido com determinadas características para as camadas externas e internas, respectivamente.

Usando-se determinadas medidas relativas à tecnologia, o desenvolvimento atingiu os requisitos previamente estabelecidos para o produto final, criando-se nova oportunidade de lucro para as empresas e ampliando-se o valor agregado aos usuários.

Fonte: textilia.net

About Sindivestuário

Veja também

Índice de Viabilidade do Vestuário – SP: Maio 2018

A produção industrial de vestuário paulista parece estar diante de um interregno. Explique-se: interregno significa que …

Deixe uma resposta