Home / Dados econômicos / Pesquisas / Novas tecnologias marcam a Techtextil e Texprocess 2017

Novas tecnologias marcam a Techtextil e Texprocess 2017

Têxteis tecnológicos, altamente especializados para aplicações médicas, serão uma das atrações da Techtextil Texprocess 2017, feira mundial do setor de têxteis técnicos e nãotecidos, que acontece de 9 a 12 de maio, em Frankfurt. Outra novidade do evento é ‘Living in Space’ (Vivendo no Espaço), exposição que reunirá materiais têxteis apropriados para uma hipotética viagem sideral. A mostra será realizada pela Messe Frankfurt em cooperação com a Agência Espacial Europeia (ESA) e com o Centro Aeroespacial Alemão (DLR). Durante o período da feira também será entregue o prêmio da Fundação Walter Reiners-Stifung, da Alemanha, a cincos jovens engenheiros têxteis.

Foco nos têxteis médicos

Desde a invenção do esparadrapo, dos moldes de gesso e das roupas médicas para cirurgias, a indústria têxtil tem dado uma importante contribuição aos produtos relacionados à área de cuidados à saúde. Da interconexão que ocorreu entre têxtil e medicina poderemos esperar, num futuro próximo, peças de alta tecnologia para próteses, tecnologia de reabilitação adaptadas às necessidades dos pacientes e tecidos funcionais, como por exemplo, dotados de alarmes de emergência embutidos nas roupas para os idosos. De acordo com especialistas da área médica, as expectativas são positivas para criação de novos têxteis que poderão ser utilizados em tratamentos médicos e cuidados terapêuticos. A Messe Frankfurt, organizadora da feira, garante que os visitantes profissionais do setor de saúde irão se surpreender com as novas descobertas, a partir de pesquisas com base nas fibras para soluções médicas, que estarão expostas na seção “Medtech” da Techtextil.figura1

Bandagem com sensores integrados

Potencial para fibras

As fibras formam os blocos de construção básicos da vida. Em termos de negócios médicos e de cuidados à saúde, elas estão se tornando um foco cada vez mais importante para a pesquisa têxtil alemã. Os projetos atuais de desenvolvimento mostram que modelos a serem encontrados no mundo das plantas e animais não estão apenas sendo replicados em laboratório, mas em trabalho conjunto com outras disciplinas de pesquisa, clínicas e indústria farmacêutica. Todos estão criando as bases para novas possibilidades operacionais que deverão dar suporte à geração de fibras de alta tecnologia em 2020. “Primeiramente, precisamos saber se o corpo humano irá tolerar estas fibras e se elas terão propriedades adaptáveis em termos de rigidez e absorvibilidade. Algumas fibras gerarão novos tipos de produtos como implantes de cobertura e auxílios terapêuticos, que podem ser ajustados individualmente para cada paciente”, diz o Dr. Klaus Jansen, do instituto têxtil Forschungskuratorium, com sede em Berlim. Segundo ele, “já estão no horizonte” fibras vazadas como componentes de curativos para ferimentos e stents para coração e pulmões que podem ser preenchidos com as próprias células do corpo, visando reduzir à rejeição do paciente por mais tempo. Para citar apenas uma ideia de produto com potencial baseada em ciência complexa: três institutos de pesquisa – o Instituto de Máquinas Têxteis e Tecnologia de Materiais de Alto Desempenho (ITM); o InstItuto e Eletrônicos de Estado Sólido (IFE) da Universidade Técnica de Dresden e o Instituto de Pesquisa Têxtil de Thuringia-Vogtland (TITV) em Greiz – , desenvolveram sensores miniaturizados contínuos de ferimentos crônicos, que já demonstraram sua eficiência prática. Agora, espera-se que eles tornem possível registrar fatores relevantes, químico e fisiologicamente complexos, que afetam o corpo humano.

foto2

Algumas fibras gerarão novos tipos de produtos

Projeto experimental

Como parte de um projeto inicial de pesquisa com patrocínio do Ministério Federal Alemão de Assuntos Econômicos, técnicas de bordado foram usadas para criar redes modulares de sensores aplicadas em substratos têxteis e nãotecidos. As redes modulares foram conectadas para criarem sistemas de monitoração funcional. Estas redes podem ser incorporadas em curativos para ferimentos, assim como registrar parâmetros fisiológicos em tempo real, fornecendo dados objetivos que podem indicar qualquer interrupção no processo de cura. Tal monitoramento contínuo, dizem os pesquisadores, também torna possível obter um entendimento melhor da relação entre os parâmetros relevantes ao redor do ferimento. De forma similar, também deve ser possível registrar os parâmetros vitais das pessoas em atividades de lazer e esportes, ou para monitorar o funcionamento de implantes.

‘Living in Space’ [Vivendo no Espaço]

Os têxteis técnicos representam uma boa parte dos materiais transportados em viagens espaciais feitas pelos astronautas. Exemplos dessas peças e produtos serão mostrados na exposição ‘Living in Space’, durante a Techtextil e Texprocess. A mostra foi organizada pela Messe Frankfurt em cooperação com a Agência Espacial Europeia (ESA) e o Centro Aeroespacial Alemão (DLR). Serão apresentadas tecnologias inovadoras, desenvolvidas pelos expositores da feira, em uma Galeria de Materiais. Lá estarão conceitos em arquitetura e moda, inspirados no espaço, inclusive o Mars Rover original, veículo motorizado automatizado, explorador da superfície de Marte. Michael Jänecke, gerente de marca Têxteis Técnicos e Processamento Têxtil da Messe Frankfurt comenta: “Na exposição ‘Living in Space’, os visitantes irão ver exemplos de materiais têxteis e tecnologias de processamento em um ambiente orientado para aplicação. Em cooperação com os nossos parceiros e expositores, criamos uma área informativa e divertida, do tipo que nunca foi visto antes neste evento”, explica, acrescentando: “Os têxteis técnicos podem ser encontramos em quase todas as esferas da vida humana, mas nesta exposição, serão mostrados materiais e tecnologias orientados para as áreas de Arquitetura, Civilização, Vestuário e Mobilidade”.

Moda high-tech em órbita

Ninguém gosta de estar com muito calor ou com muito frio. Roupas espaciais devem proteger o usuário de temperaturas extremas e também regular sua temperatura corporal, drenar a umidade, ter durabilidade e ser de fácil limpeza. Melhor ainda se forem bonitas e estilosas como as que serão mostradas pelos designs no segmento de ‘Vestuário’ na feira Texprocess. A Escola de Moda Esmod de Berlim apresentará roupas feitas por estudantes do Projeto ‘Couture in Orbit’ [Alta-Costura em Órbita] (2015/2016), organizado pela ESA e pelo Museu de Ciências de Londres. Além disso, o centro de design POLI do Politecnico di Milano (Universidade de Milão) apresentará roupas do projeto de follow-up, ‘Moda em Órbita’ sob supervisão científica de Annalisa Dominoni e técnica de Benedetto Quaquaro, em cooperação com a ESA e o fabricante de roupas Colmar. O Instituto Têxtil Hohenstein, por sua vez, vai mostrar dois modelos do projeto de pesquisas Spacetex, dentro do qual o astronauta Alexander Gerst testou a interação do corpo com o vestuário e o clima sob as condições de gravidade zero durante a missão ‘Blue Dot’ [Ponto Azul]. Nesta conexão, o modelo, ‘Nostalgia’ por Linda Pfanzler, da Universidade do Baixo Reno, lembra o usuário sobre a Terra como um acervo integrado de fragrâncias. Os trajes da coleção ‘Espaço Dinâmico’, por Rachel Kowalski (Universidade de Pforzheim) contém eletrodos que estimulam grupos de músculos importantes, também sob condições de gravidade zero. As roupas criadas por Leyla Yalcin e Sena Isikal (AMD Düsseldorf) vem da coleção ‘Decolagem’, criada em cooperação com o fabricante de fio contínuo de prata Statex. As designers incluem um saco de dormir para astronautas, feito com têxteis revestidos de prata, que podem ser utilizados para proteger o usuário de radiação eletromagnética. Graças aos fios de prata, outra roupa inovadora – uma capa de chuva – consegue refletir a luz e armazena o calor corporal do usuário.

Galeria de Materiais: fibras para o espaço

Além da exposição especial, cerca de 40 expositores da Techtextil e Texprocess oferecerão na ‘Galeria de Materiais’ ideias com base nas fibras e tecnologia de processamento adequada para o uso no espaço. Para o segmento ‘Civilização’, serão apresentados tecidos espaçadores para proteger vegetais em crescimento; na seção ‘Mobilidade’, destaque para um fio de carbono que foi utilizado para carenagem do foguete propulsor de combustível sólido do Ariane 6. A Galeria de Materiais também mostrará estruturas compostas por fibras de carbono, um braço robótico, um traje inteiro que transmite os movimentos do usuário para um modelo 3D em tempo real; roupas funcionais com retardantes de chamas, propriedades antibacterianas e reguladoras de temperatura, além de sistemas de membranas para ventilação em aeronaves.

Jovens engenheiros serão premiados

Cinco estudantes de Engenharia receberão prêmios da Fundação Walter Reiners-Stifung, da Alemanha, nas categorias dissertação, mestrado e trabalho de seminário por suas invenções criativas e ousadas. A cerimônia ocorrerá no dia 11 de maio, no estande VDMA (3.0/D25), durante a feira Techtextil Texprocess 2017. Representando 62 empresas expositoras, a VDMA – Associação Alemã de Fabricantes de Máquinas e Instalações Industriais estará participando da feira, não só para promover os negócios de suas representadas, mas também apoiar o trabalho de novos talentos. O principal objetivo da Fundação Walter Reiners-Stifung, que dá nome à premiação, é promover a educação de jovens engenheiros e pesquisas na área de máquinas têxteis. Entre as medidas de apoio estão concessões de bolsas de estudo no exterior, premiação para teses e dissertações no campo das máquinas têxteis alemãs e apoio financeiro para associados participarem de feiras do setor. O conselho da Fundação é formado por diretores das empresas Brückner GmbH & CO; Lindauer Dornier GmbH, LIBA e Oerlikon Barmag. Para mais informações sobre as feiras Techtextil e Texprocess: www.techtextil.messefrankfurt.com/

Fonte: Textília

About Sindivestuário

Veja também

Palestra Reforma Trabalhista: Dra Maria Thereza Pugliesi ***VAGAS LIMITADAS***

***VAGAS LIMITADAS***  

Leave a Reply