Home / Destaque / FebraTêxtil surpreende visitantes no Parque Anhembi

FebraTêxtil surpreende visitantes no Parque Anhembi

A primeira edição da Feira Brasil Têxtil, cujo objetivo foi dar o start para reunir a cadeia de valor da indústria têxtil/confecção em torno de um novo evento de negócios para o setor de moda, teve boa receptividade do público. Organizada pelo FCEM|Febratex Group em parceria com o Grupo MJC|Textília, a feira aconteceu entre os dias 25 e 28 de abril simultaneamente à Tecnotêxtil Brasil; FINNT – Feira Internacional de NãoTecidos e Tecidos Técnicos e Boné Show. A próxima edição da FebraTêxtil foi confirmada para 23 a 25 de outubro de 2018, das 14hs às 20 hs, no mesmo pavilhão.

febratextil
Visitantes conferem novidades da nova feira do setor têxtil em São Paulo. next previous close

“Foi muito difícil realizar este evento, devido ao cenário econômico atual do País, mas as empresas que acreditaram no projeto mostraram que o mercado têxtil é vigoroso e que a integração de todos os segmentos da  cadeia produtiva é o caminho para o sucesso dos negócios do setor”, disse  Helvio Pompeo Madeira, diretor-presidente do FCEM|Febratex Group, destacando o papel da empresária Maria José de Carvalho, diretora do Grupo MJC|Textilia, responsável pela estratégia e comercialização do projeto da feira.

Enfatizando que, “o sucesso da feira é o sucesso do expositor”, Maria José de Carvalho explicou como teve a ideia de realizar o novo evento em São Paulo. “Em agosto de 2015, eu levei ao grupo FCEM o projeto estratégico em defesa da cadeia têxtil/confecção para ver da possibilidade de realizarmos um novo evento em São Paulo. Não é especialidade da MJC|Textilia montar feira, nossa vocação é inteligência de mercado. Contudo, entendo que, devido à carência do mercado brasileiro nos últimos anos de ter uma feira de negócios, sobretudo em São Paulo, a maior cidade da América  do Sul, decidimos que era chegada a hora de unir a indústria de fios e tecidos, agregando os serviços complementares como lavanderia e estamparia, para apresentar ao mercado de moda e varejo  seus produtos e inovações.”

Segundo os organizadores, o objetivo da FebraTêxtil é gerar negócios e abrir oportunidades para as empresas de confecção, moda e varejo que encontrarão, no mesmo local, os principais fabricantes de matérias-primas, como fios, malhas, tecidos planos e aviamentos, além de serviços como beneficiamento, lavanderia, bureau de estilo e desenho, bordados, estamparia, embalagem, consultorias, institutos e escolas profissionais.

febra2
Helvio Pompeo Madeira, diretor FCEM|Febratex Group.

Troca de informação e relacionamento

Carlos Fernandes, gerente comercial da Hyosung, que compareceu à coletiva de imprensa acompanhado do presidente da companhia, o Sr. Cho, Do-Jun, elogiou a iniciativa. “Toda a cadeia de valor precisa compartilhar conhecimento e informação, nesse sentido, o conceito deste evento é muito bom. Tivemos visita de potenciais clientes além de nossos parceiros que passaram pelo estande. Hoje, a Hyosung, que está no Brasil desde 2011, tem cerca de 400 clientes ativos e o têxtil é o nosso core business”. O presidente da multinacional coreana acrescentou: “ Espero que esta feira tenha vida longa. Fico impressionado com a força do mercado consumidor brasileiro. Vejo que o consumo per capita ainda tem muito a crescer, por isso, em breve, a Hyosung vai aumentar sua capacidade de produção no Brasil em 50%”.

Marcelo Bathe, gerente de exportação da Rhodia, disse que desde 1929 , quando a empresa – na época pertencente ao grupo francês Rhône Poulenc – implantou sua atividade têxtil, vem apoiando feiras neste setor. “Fomos pioneiros no mercado de moda brasileiro, quando lançamos aqui os fios de poliamida. A Rhodia tem longa tradição em inovação de produtos e este conhecimento deve ser compartilhado. A união da cadeia têxtil é muito importante e esta feira trouxe resultados acima das nossas expectativas”.

Eleonora França, gerente de Marketing e Produtos da Santanense, que produz 5 milhões de metros de tecidos planos para moda e roupa profissional por mês, destacou que o setor têxtil brasileiro precisa se fortalecer para vencer as barreiras do mercado e elogiou a qualidade dos visitantes da primeira FebraTêxtil: “Fazemos parte de uma economia global e, portanto, devemos estar preparados para competir. A feira é uma ferramenta que traz bons resultados, mas precisa melhorar para dar certo”, disse a executiva, sugerindo que o número de dias e horários da exposição deveriam ser reduzidos.

Já o gerente de comunicação da Cedro, Eduardo Silva, avaliou que a feira atendeu suas expectativas. “A Cedro apresentou diversas soluções para os mercados de moda, jeanswear e também tecidos especiais para workwear. Vivemos uma economia em oscilações constantes e é difícil para as industrias se adaptarem. Mesmo sendo uma empresa com mais de 140 anos de mercado, a Cedro tem mostrado capacidade de inovação. Temos uma expecativa positiva para a próxima edição da feira”.

febra 4
Coletiva de imprensa da FCEM|Febratex Group durante a feira

Os expositores também avaliaram que o Brasil precisa aumentar sua capacidade de exportação, sobretudo em segmentos em que é competitivo, como denim e moda praia, e que a feira deve abranger não só o mercado brasileiro como um todo, mas também o mercado sul-americano.

Fonte:Textília

About Sindivestuário

Veja também

Tecnologia escreve futuro da moda

Alguns dos mais interessantes desenvolvimentos recentemente apresentados pela indústria da moda não estão a acontecer …

Leave a Reply