Home / Dados econômicos / Pesquisas / A-Line e a arte da camisaria

A-Line e a arte da camisaria

O batismo honra a icónica silhueta de Christian Dior mas, na A-Line, é o contorno superior
do corpo feminino – que acaba por formar um “A” invertido – que importa, não fosse a camisaria
a força motriz da marca nacional com os olhos postos no mundo.

                                                Com experiência na indústria têxtil, acumulada ao longo de 20 anos, Alexandra  Carneiro,  diretora criativa da A-Line, considera ter encontrado uma lacuna na oferta de moda feminina.

                                         «Um segmento de mulheres que procurava, sem sucesso, peças que fossem,
simultaneamente, elegantes, cômodas e que se adaptassem eficazmente aos
vários momentos do dia, tendo que contentar-se com opções que não
satisfaziam em pleno as suas necessidades», explica a fundadora ao Portugal Têxtil.
A busca desse «fitting perfeito» e respetiva democratização  transformaram-se na
corrida motivacional de Alexandra Carneiro e a A-Line na linha de chegada. A marca de vestuário nasceu em 2016,
com o propósito de reinventar uma peça essencial e intemporal no guarda-roupa feminino – a camisa.

—————————————————————————————————————————-

As camisas da A-Line têm atualmente duas versões: “Essentials”, os clássicos da camisaria reinterpretados através de formas não convencionais; e “Editions”, peças de edição limitada, que surpreendem pela irreverência e pelos detalhes improváveis. As peças apresentam um leque de preços entre os 150 e os 250 euros.

Desenhadas e produzidas no atelier da marca em Paços de Ferreira, o algodão e a seda são privilegiados nas camisas da A-Line, que tem como público-alvo «mulheres com personalidade, dinâmicas, líderes e mães, que procuram diariamente qualidade, comodidade e sofisticação», aponta Hélder Gonçalves, responsável de marketing e diretor financeiro da marca.

Com uma presença ativa nas redes sociais, Alemanha, Áustria, Dinamarca e Suíça já se renderam à camisaria da marca que, como esclarece Hélder Gonçalves, «está essencialmente focada no mercado externo» e, portanto, «para já, o mercado nacional não tem um valor significativo nas vendas».

«Esperamos fidelizar o público nacional com a abertura da nossa loja online, que será lançada brevemente», adianta o responsável de marketing e diretor financeiro da A-Line ao Portugal Têxtil.

About Sindivestuário

Veja também

Estudantes italianas de moda criam 1º “jeans do Papa”

Estudantes de moda do Instituto Duchessa di Galliera de Gênova, na Itália, criaram uma casula …

Leave a Reply