Home / Associados / Produção Física Industrial (Nov/16): parou de piorar

Produção Física Industrial (Nov/16): parou de piorar

pfnov16

O IBGE revelou os dados da produção industrial, relativos a novembro de 2016. Os números mostram que quanto mais próximos da atualidade estamos, mais nos afastamos do pior momento, em termos de queda na produção.

Embora isso não seja equivalente a uma recuperação, de fato, o que se vê é que – desde muitos meses – os números (e os gráficos) não tinham sinais positivos; agora eles já aparecem. Note-se que, tanto no Brasil como em São Paulo, a indústria têxtil e a de confecção (vestuário) registraram alta em novembro de 2016, frente ao mesmo mês de 2015.

Sempre como base o próprio mês da pesquisa, no Brasil, a alta da indústria têxtil foi de 4,3% e da confecção foi de 5,3%.Em São Paulo, por sua vez, a elevação foi quase a mesma, porém a indústria têxtil foi um pouco melhor, com 5,3% de crescimento e a indústria de confecção com 4,1% acima do verificado no ano de 2015, em novembro.

Evidente que não há o que comemorar, tendo em vista a baixa base de comparação. Contudo, é um sinal claro de que o quadro deve mudar. Sem dúvida, um alívio na Selic poderia acelerar a recuperação da atividade econômica, inclusive para a indústria de transformação, como um todo e para a cadeia têxtil e de vestuário, em particular.

Comments

comments

About Sindivestuário

Veja também

Data: 28/04/2014
Editoria: Projetos Especiais
Reporter: Julia Matravolgyi
Local: Darling, Sao Paulo, SP.
Pauta: Perfil da empresa Darling, confeccao de lingerie - Caderno PME de Abril.
Setor: feminino
Tags: moda, lingerie, vestuario, tendencias, negocio, estrategia, investimento, perspectiva.
Personagem: Ronald Moris Masijah, diretor industrial da Darling, fotografado conversando no showroom da empresa, com pecas de lingerie ao fundo.
Foto: Ana Paula Paiva/Valor

Presidente do Sindivesdtuário fala sobre terceirização e importações no telejornal Cenário Econômico da TV Brasil

Comments comments

Deixe uma resposta

Support